Home / Destaque home / MICROCHIP IMPLANTANDO PELO CCZ DE TAUBATÉ AJUDA EM CASO DE ANIMAL ABANDONADO

MICROCHIP IMPLANTANDO PELO CCZ DE TAUBATÉ AJUDA EM CASO DE ANIMAL ABANDONADO

O caso aconteceu na última semana e o ex-tutor do cachorro foi multado com base no decreto municipal de maus-tratos contra animais.

O Centro de Controle de Zoonoses de Taubaté (CCZ) recebeu, por meio do whatsapp do Samu Animal, a informação de um cachorro que estaria machucado e precisava de resgate. As informações iniciais eram de que o animal estaria na região do bairro Parque Três Marias e que não tinha tutor.

O Samu Animal fez o resgate e levou o cachorro para receber os devidos cuidados no Hospital Público Veterinário de Taubaté. Nas imagens de um exame de raio-x, foi encontrado um microchip implantado sob a pele do animal.

Quando o animal chegou ao abrigo, ao fazer a leitura do chip, a gestão verificou que ele havia sido adotado em junho deste ano no CCZ de Taubaté, que também implantou o dispositivo.

Após averiguações e diligências da equipe de fiscalização da secretaria de meio ambiente e bem-estar animal, o ex-tutor foi autuado com base no decreto municipal nº 14.695, que dispõe sobre a definição de maus-tratos contra animais. O valor da multa é de uma e meia Unidade Fiscal do Município de Taubaté (UFMT), que equivale a R$ 348.

De acordo com a Lei Estadual 16308/16, o ex-tutor também fica proibido de obter a guarda do animal, ou de qualquer outro, por cinco anos.

 

EFICÁCIA DO MICROCHIP

Este caso deixa clara a importância e a eficácia da microchipagem nos animais, que tem como função principal identificar o seu tutor e coibir os casos de maus tratos e abandonos.

O CCZ de Taubaté está implantando os microchips desde outubro de 2021, quando foram adquiridas 3 mil unidades do equipamento.

Em 2022, a prefeitura de Taubaté comprou mais 5 mil microchips. Até o momento, cerca de 3200 animais (entre cães, gatos e cavalos) já possuem os dispositivos.

 

COMO FUNCIONA O MICROCHIP EM ANIMAIS?

O microchip é um dispositivo minúsculo, colocado sob a pele do animal, com todos os dados que identificam o tutor e seu endereço. Para que seja possível acessar as informações, o CCZ utiliza um leitor.

O sistema irá auxilia no controle de abandono e no combate aos maus tratos de animais, além de ajudar em casos de animais perdidos.